Pages

29 de setembro de 2009

Eu Sou a Porta

Charles Haddon Spurgeon



Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem” (João 10:9)


Jesus, o grande Eu SOU, é a porta de entrada para a verdadeira igreja, e o caminho de acesso para o próprio Deus. Ele dá ao homem que vai a Deus por meio Dele quatro privilégios especiais:

1. Será salvo. O homicida fugitivo passou pelos portões da cidade de refúgio e foi salvo. Noé entrou pela porta da arca e ficou em segurança. Aqueles que aceitam Jesus como a porta da fé para suas almas não ficam perdidos. O acesso à paz por meio de Jesus é a garantia de entrada nos céus pela mesma porta. Jesus é a única porta, uma porta aberta, uma porta ampla, uma porta segura; e bem-aventurado é aquele que coloca toda a sua esperança de entrar na glória sobre o Redentor crucificado.

2. Entrará. Ele terá o privilégio de entrar para a família divina, compartilhando do pão dos filhos de Deus e participando de todas as suas honras e prazeres. Ele entrará nos aposentos da comunhão, nos banquetes do amor, nos tesouros da aliança, nos depósitos das promessas. Entrará na presença do Rei dos reis no poder do Espírito Santo e os segredos do Senhor estarão com ele.

3. Sairá. Esta é uma benção muito esquecida. Somos enviados ao mundo para labutar e sofrer, mas que bênção ir em nome e no poder de Jesus! Somos chamados a dar testemunho da verdade, a animar os abatidos, a admoestar os descuidados, a ganhar almas e a glorificar a Deus; e, como o Anjo disse a Gideão : "Vai nessa tua força" (Jz. 6:14), da mesma forma o Senhor nos faria prosperar como Seus mensageiros, em Seu nome e em Sua força.

4. Achará pastagem. Aquele que conhece a Jesus jamais terá falta. Entrar e sair será igualmente útil para ele: na companhia de Deus ele crescerá, e regando os outros ele será regado. Fazendo de Jesus seu tudo, ele encontrará tudo em Jesus. Sua alma será como um jardim regado e como um poço cujas águas jamais secarão.

Fonte: Monergismo

Morning and Evening (Devocional vespertina do dia 17 de dezembro)


Tradução: Mariza Regina Souza

Os Falsos Mestres



Vale a pena ver essa pregação sobre os falsos mestres que envergonham a Palavra de Deus!

Does God exist?

24 de setembro de 2009

A Absoluta Importância do Motivo!!!

Arthur W. Pink

A prova pela qual toda conduta será finalmente julgada é o motivo.

Como a água não pode subir mais alto do que o nível da sua fonte, assim a qualidade moral de um ato nunca pode ser mais elevada do que o motivo que o inspira. Por esta razão, nenhum ato procedente de um motivo mal pode ser bom, ainda que algum bem pareça resultar dele. Toda ação praticada por ira ou despeito, por exemplo, ver-se-á, afinal, que foi praticada em favor do inimigo e contra o reino de Deus.

Infelizmente, a atividade religiosa possui tal natureza, que muito desse tipo de atividade pode ser realizado por motivos maus, como a raiva, a inveja, a ambição, a vaidade e a avareza. Toda atividade desse tipo é essencialmente má e como tal será avaliada no Julgamento.
Nesta questão de motivos, como em muitas outras, os fariseus dão-nos exemplos claros. Eles continuam sendo o mais triste fracasso religioso do mundo, não por causa de erro doutrinário, nem porque eram pessoas de vida abertamente dissoluta. Todo o problema deles estava na qualidade dos seus motivos religiosos. Oravam, mas para serem ouvidos pelos homens, e, deste modo, o seu motivo arruinava as suas orações e as tornava inúteis e, realmente, más. Contribuíam para o serviço do templo, porém, às vezes, o faziam para escapar do seu dever para com os seus pais, e isto era um mal, um pecado. Os fariseus condenavam o pecado e se levantavam contra ele, quando o viam-nos outros, mas o faziam motivados por sua justiça própria e por sua dureza de coração. Isso caracterizava quase tudo o que faziam. Suas atividades eram cercadas por aparência de santidade; e essas mesmas atividades, se fossem realizadas por motivos puros, seriam boas e louváveis. Toda a fraqueza dos fariseus estava na qualidade dos seus motivos.

Isto não é uma coisa insignificante — é o que podemos concluir do fato de que aqueles religiosos formais e ortodoxos continuaram em sua cegueira, até que finalmente crucificaram o Senhor da glória, sem qualquer noção da gravidade do seu crime.
Atos religiosos praticados por motivos vis são duplamente maus — maus em si mesmos e maus porque são praticados em nome de Deus. Isto equivale a pecar em nome dAquele Ser que é impecável, a mentir em nome dAquele que não pode mentir e a odiar em nome dAquele cuja natureza é amor.

Os crentes, especialmente os muito ativos, freqüentemente devem separar tempo para sondar a sua alma, a fim de certificarem-se dos seus motivos. Muito solo é cantado para exibição; muitos sermões são pregados para mostrar talento; muitas igrejas são fundadas como um insulto contra outra igreja. Mesmo a atividade missionária pode tornar-se competitiva, e a conquista de almas pode degenerar, tornando-se uma espécie de marketing eclesiástico, para satisfazer a carne. Não esqueçam: os fariseus eram grandes missionários, e rodeavam o mar e a terra para fazer um converso.

Um bom modo de evitar a armadilha da atividade religiosa vazia é comparecer diante de Deus, sempre que possível, com a nossa Bíblia aberta em 1 Coríntios 13. Esta passagem, embora seja considerada uma das mais belas da Bíblia, é também uma das mais severas dentre as que se acham nas Escrituras Sagradas. O apóstolo toma o serviço religioso mais elevado e o consigna à futilidade, se não for motivado pelo amor. Sem amor, profetas, mestres, oradores, filantropos e mártires são despedidos sem recompensas.
Resumindo, podemos dizer que, aos olhos de Deus, somos julgados não tanto pelo que fazemos e sim por nossos motivos para fazê-lo. Não “o quê” mas “por quê” será a pergunta importante que ouviremos, quando nós, crentes, comparecermos no tribunal, a fim de prestarmos contas dos atos praticados enquanto estávamos no corpo.


Fonte: Editora Fiel

Spurgeon / Sofrendo para Servir - Mark Driscoll

20 de setembro de 2009

É Pecado JULGAR????????


L. Rogério

Existe um discurso politicamente correto que flui honrosamente da boca daqueles que geralmente odeiam a confrontação: "Vou à igreja, assisto o 'meu' culto, volto pra casa e não falo mal da vida de ninguém. Acho que se cada um cuidasse de sua própria vida e deixasse esse negócio de criticar o que é dito na igreja, nós teríamos uma igreja bem melhor."

Gente assim, dificilmente tem um senso crítico a respeito de sua fé. Não sabe porque crê. Não sabe no que crê. Contenta-se com uma fé cega, surda e muda. Afinal, dizem os tais, ai daquele que tocar nos ungidos do Senhor. Esquecem-se porém, que, diferente do Antigo Testamento, todos fomos ungidos na Nova Aliança: "Mas vocês têm uma unção que procede do Santo, e todos vocês têm conhecimento (...). Quanto a vocês, a unção que receberam dele permanece em vocês (...)" I Jo. 2.20,27

Estamos testemunhando um tempo histórico, onde os crentes seguem à risca tudo aquilo que lhes é dito a partir de um púlpito, sem titubear (claro, desde que isso não conflite com todas as bênçãos que Ele tem guardado em sua cartola mágica). Não sei o que é pior, vender aos crentes a bênção em forma de amuletos dos mais esdrúxulos, ou pior: comprá-la!

Será que ainda existem crentes que não entenderam que o que Jesus condenou foi o julgamento hipócrita, e não o julgar em si (Mt. 7.1-6)? Será que nunca estaremos prontos para tirar o cisco do olho de nosso irmão? Será que Jesus não foi o suficientemente claro ao dizer que depois de tirarmos a viga de nossos olhos estaríamos aptos para exercer o julgamento? Ouso propor uma resposta: o descaso do povo para com a Palavra continuará sustentando muitas mentiras, heresias e agressões à alma.

Ah... que falta fazem os bereanos! O livro de Atos não poupa elogios quando diz que eles "eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo." (At. 17.11)

Jesus disse: "Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos!" (Jo. 7.24). Disse também: "Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo?" (Lc. 12.57). O Apóstolo Paulo também não deixou margem para dúvidas quando disse: "Estou falando a pessoas sensatas; julguem vocês mesmos o que estou dizendo." (I Co. 10.15).

Há ainda aqueles mais pacificadores que, mansamente, nos lembram: "...ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom!" (I Te. 5.21). O problema nesse caso é, como diria meu professor Franco Júnior: "O que é bom?". Afinal, como já disse aqui, o ruim não é receber e-mails criticando meus posicionamentos, o ruim é receber respostas baseadas na achologia. E convenhamos: esse é o parâmetro utilizado pela maioria dos crentes hoje em dia. Não! Mil vezes não! A Bíblia é o nosso referencial.

E mais: não me importa quantos milhões de CDs vendeu o camarada que inventou a fábula de um Zaqueu que consegue chamar a atenção de Jesus - a Bíblia não diz isso. Não me importa o brilho reluzente do troféu da moça que quer te colocar no palco e humilhar os seus irmãos, a Bíblia não diz que será assim. Também pouco me importa se hoje é 9/9/2009 ou 10/10/2010, a sua bênção não custa R$ 900,00, nem custará R$ 10.000,00 no ano que vem, a Bíblia não respalda isso. Por fim, não me importa quem "profetizou", nenhuma arca vai proteger a minha casa, mesmo com anjinho e tudo. A Bíblia diz que "...se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda." (Sl. 127.1)

Que Deus levante mais bereanos. Gente que duvida, que critica, que denuncia. Gente que pinta a cara, mas não é palhaço! Homens e mulheres que não tenham medo da verdade, custe o que custar. Só assim a igreja evangélica brasileira voltará ao caminho da verdade, afinal, para esse, não há atalhos. Deus nos guarde dos lobos!

17 de setembro de 2009

Dr. Carlos Gonzalez / Pediatra

Gentee... como é difícil qdo temos filhos, cada criança é de um jeito, umas choram mtoo, outras já são mtoo calmas, mta gente dando palpite ai ai ai.... E falando hj com uma prima minha....lembrei mtoo bem do que ela deve estar passando a filhinha dela chora mtooo(como a minha rsrs) aconselhei ela não deixar a nenem sozinha chorando.....Jamais.....e com isso me lembrei desse livro do Dr. Carlos Gonzalez e resolvi falar um pouco dele, Baseado no Amor é exatamente isso o que esse pediatra vem defender, eu o descobri na net, mais preciso em uma comunidade do Orkut, é beeemmm interessante ler, me parece que ainda não tem no Brasil esse livro...acho que só na Europa...mas neste site(clique aqui) vc encontra uma versão em português pra baixar. Ele tem outros Livros interessantes tb, que vc consegue saber um pouco mais nessa comunidade do Orkut. Fica essa superrr dica aí....Gente por favor.....mtooo Amor com os pequenos hein....da trabalho masss logo passa...tudoooo passa!!!!!!!!

Bésame Mucho

Carlos González
Editora: Pergaminho
Última Edição: 2005
N.º de Páginas: 248
Preço: 15,00 euros (IVA já incluído)



Costuma dizer-se que os bebés não vêm com manual de instruções; contudo, nos nossos dias, o problema parece ser o oposto. Os pais vivem rodeados de «manuais de instruções», seja sob a forma de livros, de publicações especializadas ou simplesmente de conselhos de pediatras. Proliferam as opiniões, e as filosofias das diversas escolas de puericultura e pedagogia são cada vez mais diversificadas. Neste sentido, é difícil para os pais confiarem no seu instinto ou no seu primeiro impulso. Bésame Mucho vem devolver aos pais a confiança naquele sentimento que está por trás de tudo aquilo que os pais sentem, desejam e fazem os filhos: o amor. O Dr. Carlos González, pediatra e autor de renome, defende uma nova educação baseada no amor, no respeito e na liberdade. Uma leitura acessível, agradável e repleta de exemplos práticos.


Deus Abençoe
Ps: Ajudem a Divulgar.......

INCREDIBOX


Um site pra criar sua própria música.....dá pra se divertir e matar o tempo!rsrsrs
Clique aqui: incredibox.fr


Fonte: No que dan Blogs

16 de setembro de 2009

Puuuutz!



Olha só a alegria do pai ao conseguir pegar o arremesso em um jogo de baseball e todo contente comemora e dá a bola para sua filha que sem pestanejar arremessa ela de volta deixando todos de boca aberta e pensando não acreditooooo, situação é engraçada, uma por ter devolvido a bola e outra por ser uma fofa achando que tinha feito algo errado devido a reação dos que estavam em volta mas o pai todo carinhoso disse a sua pequena "It´s okay"!

Fonte: Yahoo.com

11 de setembro de 2009

O Mestre da Vida!



Fim de semana tá ai então vou deixar uma dica de um filme que assisti já faz um tempinho e mais de uma vez, o filme chama O Mestre da Vida (Local Color) é inspirado na história verdadeira de um jovem estudante de arte e um velho mestre que juntos passam a ver suas vidas de maneiras diferentes!Super recomendo....pra rir e chorar!

Bom fim de Semana!!!

10 de setembro de 2009

Pra não correr!

video

Recebi esse vídeo por email e vale a pena dar uma olhada. Fica aqui o alerta para os motoristas tomarem cuidado e NÃO correr!

MacBook 2



Já faz um tempinho publiquei umas fotos de um Macbook com um adesivo da Branca de Neve, agora a Vinylville, uma loja na Etsy lançou sua própria versão do adesivo, que por sinal é bem bacana. O adesivo está a venda por USD$14!

Fonte: Etsy

Bookmark


Esse é um marcador de livros de borracha, você marca a página e também tem uma setinha para indicar a linha em que parou......pra não perder a leitura!
Design de Propaganda.




Fonte: MoCoLoco
Via : No que dan blogs

8 de setembro de 2009

Um Chamado para Angútia / David Wilkerson

Fantásticooo esse vídeo.....vale mtooo a pena ver e rever!!!!!

7 de setembro de 2009

SEPARAI-VOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Charles Haddon Spurgeon

O crente, embora esteja no mundo, não é do mundo. Ele deveria ser distinguido do mundo nos grandes objetivos de sua vida. Para o crente, o viver tem de ser Cristo (ver Filipenses 1.21). Quer beba, quer coma, quer faça alguma outra coisa, o crente deve fazer tudo para a glória de Deus (ver 1 Coríntios 10.31). Você pode acumular tesouros, mas, no céu, onde nem a traça nem a ferrugem corrói, e onde ladrões não podem escavar, nem roubar (ver Mateus 6.20). Talvez você queira se esforçar para ser rico, mas a sua ambição deve ser tornar-se rico na fé (ver Tiago 2.5) e nas boas obras (ver 1 Timóteo 6.18).
Você pode desfrutar de prazeres; quando, porém, você se alegrar, cante salmos (ver Tiago 5.13) e, em seu coração, faça melodias ao Senhor (ver Efésios 5.19). Em seu espírito, bem como em seus propósitos, você deve ser diferente do mundo, esperando humildemente em seu Deus, sempre consciente de sua presença, deleitando-se na comunhão com Ele. Procurando conhecer a vontade dEle, você comprovará que é membro da raça celestial.
Também deve ser separado do mundo em seus atos. Se algo é certo, você tem de fazê-lo, embora venha a sofrer perdas. Se algo é errado, ainda que resulte em ganhos, você tem de rejeitar o pecado por amor ao seu Senhor. Você não deve ter comunhão com as obras infrutíferas das trevas, e sim reprová-las.


Ande de modo digno da sua chamada e posição (ver Efésios 4.1). Lembre-se, crente, você é um filho do Rei dos reis. Portanto, mantenha-se limpo do mundo. Não manche os dedos que logo tocarão cordas celestiais. Não permita que os seus olhos, os quais em breve contemplarão o Rei em sua glória, tornem-se janelas de concupiscência. Não permita que seus pés, que logo caminharão nas ruas de ouro, sejam maculados em lugares lamacentos. Não permita que seu coração, o qual em breve será enchido pelas coisas celestiais e transbordará de regozijo, encha-se de orgulho e infelicidade.

Como Evitar Desequilíbrios Religiosos!!!

Arthur W. Pink

Os nossos esforços para sermos corretos nos podem conduzir ao erro.

A operação do Espírito, no coração humano, não é inconsciente nem automática. A vontade e a inteligência humana devem ceder e cooperar com as benignas intenções de Deus. Penso que é neste ponto que muitos de nós se perdem. Ou tentamos nos tornar santos, e, então, falhamos miseravelmente; ou, então, procuramos atingir um estado de passividade espiritual, esperando que Deus aperfeiçoe nossa natureza, em santidade, como alguém que se assentasse esperando que um ovo de pintarroxo chocasse sozinho. Trabalhamos febrilmente, para conseguir o impossível, ou não trabalhamos de forma alguma. O Novo Testamento nada conhece da operação do Espírito em nós, à parte de nossa própria resposta moral favorável. Vigilância, oração, autodisciplina e aquiescência inteligente aos propósitos de Deus são indispensáveis para qualquer progresso real na santidade. Existem certas áreas de nossas vidas em que os nossos esforços para sermos corretos nos podem conduzir ao erro, a um erro tão grande que leva à própria deformação espiritual. Por exemplo:

1) Quando, em nossa determinação de nos tornarmos ousados, nos tornamos atrevidos. Coragem e mansidão são qualidades compatíveis; ambas eram encontradas em perfeitas proporções em Cristo, e ambas brilharam esplendidamente na confrontação com os seus adversários. Pedro, diante do sinédrio, e Paulo, diante do rei Ágripa, demonstraram ambas essas qualidades, ainda que noutra ocasião, quando a ousadia de Paulo temporariamente perdeu o seu amor e se tornou carnal, ele houvesse dito ao sumo sacerdote: “Deus há de ferir-te, parede branqueada”. No entanto, deve-se dar um crédito ao apóstolo, quando, ao perceber o que havia feito, desculpou-se imediatamente (At 23.1-5).

2) Quando, em nosso desejo de sermos francos, tornamo-nos rudes. Candura sem aspereza sempre se encontrou no homem Cristo Jesus. O crente que se vangloria de sempre chamar de ferro o que é de ferro, acabará chamando tudo pelo nome de ferro. Até o fogoso Pedro aprendeu que o amor não deixa escapar da boca tudo quanto sabe (1 Pe 4.8).

3) Quando, em nossos esforços para sermos vigilantes, ficamos a suspeitar de todos. Posto que há muitos adversários, somos tentados a ver inimigos onde nenhum deles existe. Por causa do conflito com o erro, tendemos a desenvolver um espírito de hostilidade para com todos quantos discordam de nós em qualquer coisa. Satanás pouco se importa se seguimos uma doutrina falsa ou se meramente nos tornamos amargos. Pois em ambos os casos ele sai vencedor.

4) Quando tentamos ser sérios e nos tornamos sombrios. Os santos sempre foram pessoas sérias, mas a melancolia é um defeito de caráter e jamais deveria ser mesclada com a piedade. A melancolia religiosa pode indicar a presença de incredulidade ou pecado, e, se deixarmos que tal melancolia prossiga por muito tempo, pode conduzir a graves perturbações mentais. A alegria é a grande terapia da mente. “Alegrai-vos sempre no Senhor” ( Fp 4.4).

5) Quando tencionamos ser conscienciosos e nos tornamos escrupulosos em demasia. Se o diabo não puder destruir a consciência, seus esforços se concentrarão na tentativa de enfermá-la. Conheço crentes que vivem em um estado de angústia permanente, temendo que venham a desagradar a Deus. Seu mundo de atos permitidos se torna mais e mais estreito, até que finalmente temem atirar-se nas atividades comuns da vida. E ainda acreditam que essa auto-tortura é uma prova de piedade.

Enquanto os filósofos religiosos buscam corrigir essa assimetria (que é comum à toda raça humana), pregando o “meio-termo áureo”, o cristianismo oferece um remédio muito mais eficaz. O cristianismo, estando de pleno acordo com todos os fatos da existência, leva em consideração este desequilíbrio moral da vida humana, e o medicamento que oferece não é uma nova filosofia, e sim uma nova vida. O ideal aspirado pelo crente não consiste em andar pelo caminho perfeito, mas em ser conformado à imagem de Cristo.


Fonte: Editora Fiel

6 de setembro de 2009

Malaveia: Um homem acima da crítica e do sal de fruta!




Pastor Altair Germano

Gostaria de analisar "criticamente" algumas das falas do pastor Silas Malafaia neste vídeo-resposta:

1. "Eu quero dizer que eu não tô nem aí pra você crítico, ha, ha, ha!"

É claro que ele está incomodado, senão, simplesmente ignoraria as críticas.

2. "Quem critica não faz nada. Você conhece alguma obra de crítico? Você conhece alguma coisa que crítico construiu?"

Pois bem, vindo de alguém que já criticou o G-12, a própria Teologia da Prosperidade, A Rede Record e a Igreja Universal, a Rede Globo, o Caio Fábio, o Edir Macedo, a postura de alguns pastores presidentes das Assembleias de Deus por ocasião das eleições da CGADB, dentre outras coisas, se percebe que, numa incrível e absurda contradição, ele mesmo se diz "construtor do nada".

Ou será que esta afirmação só vale para quem o critica. Pobre e infeliz declaração, destituída de bom senso e equilíbrio, vinda de alguém dotado de formação acadêmica e inteligência privilegiada.

Você conhece algum critico com obras concretas, com realizações que glorificam a Deus? Eu conheço. Conheço porque penso e estou livre, como a maioria dos leitores deste blog, de ser objeto e massa de manobra de quem quer que seja. Aliás, prefiro 1.000 leitores pensantes e críticos, do que 1.000.000 de telespectadores passivos e acríticos.

3. "Geralmente, o crítico é um recalcado, que tem dor de cotovelo do 'sucesso' dos outros"

O que significa "sucesso" na perspectiva "malafaiana". Seria se tornar rico e famoso? É bem provável, tendo como paradigma o Evangelho da Vitória Financeira que ele mesmo prega. Ou seria se tornar vice-presidente da CGADB com todos os escândalos promovidos, com as brigas judiciais dos bastidores, com as denúnicas bombásticas, com as articulações políticas que arrepiam até Satanás?

Certamente, a perspectiva de sucesso aqui não se trata daquela que norteou o ministério de Isaías, Elias, Eliseu, Jeremias, Daniel, João Batista, Jesus, Paulo, Pedro, João etc., e que um dia já norteou (assim penso) o próprio ministério do companheiro de denominação.

4. "Eu estou preocupado com aquelas pessoas que ao ouvir a palavra de Deus, a fé pode ser produzida"

De qual "Palavra de Deus" o pastor Silas Malafaia se reporta? Será a profecia dos R$ 900,00 do pastor Morris Cerullo? Será a mensagem da Vitória Financeira da Bíblia que leva este nome?

"Palavra de Deus" gera fé? É claro que sim (Rm 10.17), mas, os efeitos da "Palavra de Deus" não é selo autenticador dos nossos equívocos e deslizes doutrinários. Ela gera fé, simplesmente por ser o que é.

Parece-me que no âmbito da subjetividade, "Palavra de Deus" tornou-se mais uma vítima dos processos relativizadores da pós-modernidade, ou seja, "Palavra de Deus" tornou-se o que "eu" entendo ser, e não aquilo que se fundamenta e se sustenta na Bíblia Sagrada!

Entendo, salvo melhor juízo, que a crítica sempre nos leva a repensar a prática, vindo ela de quem quer que seja. Não é assim que pensa o pastor Silas Malafaia, que do alto do seu "sucesso" como empresário da fé, esnoba diante daqueles que dele discorda.

Oremos por ele, já que parece não mais ter ouvidos e humildade para reconhecer seus erros.

Em compensação, sobra palavras impensadas e insensatas.

Os fatos são simplesmente lamentáveis!

***
Fonte: Blog do Pastor Altair Germano


Comentários de Danilo Fernandes

Eu sou fã do Pastor Altair. Admiro a sua grandeza e inteligência, mesmo na crítica dura. Quisera eu poder assistir a este vídeo infame e conseguir me controlar e escrever qualquer coisa além do palavrão que soltei, entre uma gofada de vômito interrompida, assim, movido pelo mais absoluto nojo diante da risadinha sarcástica deste salafrário que um dia eu admirei. Malafaia: Morre um pastor.


Comentário Mastercard do Leitor (Uiii!..):

Victor Fontana disse...

"Conhece algum crítico que construiu alguma coisa?"

Resposta: Sim, Jesus.


Fonte: Genizah


Eita homenzinho difícil de engolir esse Silas e ainda vem com toda essa empáfia criticar os que lhe criticam ....faça-me o favor hein seu Silas!

Cai a Máscara do Malafaia, Cerullo e CIA





4 de setembro de 2009

"O Trono do Julgamento de Cristo"





Fonte: Encontro com o Poder

Modéstia: A Atitude da Mulher Modesta 1 - Parte 2

C.J. Mahaney

modestia_big2.jpg (16K) - Moça olhando vestido

Qualquer discussão bíblica sobre modéstia começa endereçando o coração, não a barra da saia. Nós temos que começar com a atitude da mulher modesta.

Esta ênfase no coração é evidente em 1 Timóteo 2:9. Note a frase "com modéstia e autocontrole". Todo vestuário respeitável é resultado de um coração piedoso, onde se originam a modéstia e o autocontrole. Seu guarda-roupa é uma declaração pública de sua motivação pessoal e íntima. E se você se diz piedosa, deveria estar preocupada em cultivar estas virtudes gêmeas: modéstia e autocontrole.

Modéstia significa decência. Significa evitar roupas e adornos que são extravagantes ou sexualmente atrativos. Modéstia é humildade expressa na forma de vestir. É um desejo de servir outros, especialmente os homens, por não promover ou provocar a sensualidade.

Mas para mulheres piedosas, modéstia e autocontrole devem estar claramente presentes no coração. A pergunta é: estão claramente presentes no seu?

Imodéstia, então, é muito mais do que usar uma saia curta ou um decote ousado; é o ato de chamar atenção imprópria para si. É orgulho revelado pelo que você usa.

Autocontrole é, em uma palavra, restrição. Restrição com a finalidade de pureza; restrição com a finalidade de exaltar Deus e não nós mesmos. Juntas, estas atitudes de modéstia e autocontrole deveriam ser características marcantes no modo de vestir da mulher piedosa.

Nos dias de Paulo e Timóteo, modéstia e autocontrole eram termos estranhos para muitas mulheres que andavam pelos mercados, da mesma maneira que eram para Jenni (2) e que são para a maioria das mulheres nos shoppings hoje. E estes conceitos certamente são estranhos para os estilistas modernos, cuja meta com a moda é a provocação sensual.

Uma mulher que tem como foco adorar a Deus irá considerar cuidadosamente como se veste, porque seu coração ditará seu guarda-roupa e sua aparência.

Mas para mulheres piedosas, modéstia e autocontrole devem estar claramente presentes no coração. A pergunta é: estão claramente presentes no seu?

Tal atitude fará toda a diferença na maneira de vestir de uma mulher, como o pastor John MacArthur observou:

“Como uma mulher discerne a linha muitas vezes tênue entre vestir-se apropriadamente e vestir-se para ser o centro das atenções? A resposta começa na intenção do coração. A mulher deve examinar sua motivação e objetivos no modo como se veste. Sua intenção é mostrar a graça e beleza da feminilidade?.... É revelar um coração humilde e dedicado a adorar a Deus? Ou é chamar atenção a si mesma e exibir sua...beleza? Ou pior, tentar atrair os homens sexualmente? Uma mulher que tem como foco adorar a Deus irá considerar cuidadosamente como se veste, porque seu coração ditará seu guarda-roupa e sua aparência." (3)

Qualquer conversa sobre modéstia “começa na intenção do coração". Então considere por um momento, qual é a intenção do seu coração ao comprar roupas? É um coração humilde e de serva que diz como será seu guarda-roupa e sua aparência? Suas compras são inspiradas e governadas por modéstia e controle? Ou o seu vestir é motivado por um desejo pela atenção e aprovação de outros? Seu estilo reflete uma falta de autocontrole?

Há uma ligação inseparável entre seu coração e suas roupas. Suas roupas dizem algo sobre sua atitude. Se elas não expressam um coração que é humilde, que deseja agradar a Deus, que deseja servir os outros, que é modesto, que exercita o autocontrole, então a mudança deve começar no coração.

Pois modéstia é humildade expressa no vestir.


(1) Este é o segundo de sete trechos extraídos do capítulo sobre modéstia do livro Worldliness: Resisting the Seduction of a Fallen World (Mundanismo: Resistindo à Sedução de um Mundo Caído) - Ed. Crossway, 2008 - de C.J.Mahaney. O termo "modéstia" é usado aqui no sentido bíblico, significando "conformidade com os padrões morais e éticos do grupo social; pudor, decência".

(2) Jenni foi citada na primeira parte desta série

(3) John MacArthur, 1 Timothy, The MacArthur New Testament Commentaries (Chicago: Moody, 1995), 80–81


Fonte: Bom Caminho

1 de setembro de 2009

Bike que cresce junto com vc!!!




Fantásticoooo esse design da bike do futuro...........do futuro pq ela cresce junto com a criança......aí não precisamos trocar as bikes dos pimpolhos de tempos em tempos......
A Bike Chico é incrível e Ecológica tanto que foi merecedora do Troféu de Prata na categoria Eco Design.

Produto desenvolvido pela Fibra, com base em conceitos de consumo consciente e desenvolvimento sustentável. Fabricada em laminado de bambu orgânico, o Mossô, ela acompanha o desenvolvimento natural da criança, contribuindo para a redução no uso de materiais e estimulando a consciência ambiental nos pequenos.
A bicicleta contempla crianças de dois a dez anos de idade. Vale ressaltar que o bambu utilizado neste projeto é oriundo de uma área de manejo orgânico no estado de São Paulo. Ainda não sei se já está à venda mas vale a pena conferir.

Fonte: Vírgula