Pages

29 de junho de 2010

Love Letter from GOD!!!

Devocional: "O Senhor é o Dr. Livingstone?"




É caro servir a Cristo. Jesus disse; "calcule o preço"(veja Lc 14:28).
Mais ou menos duzentos anos atrás, havia dois irmãos escoceses chamados John e David livingstone. John decidiu ganhar dinheiro e ficar rico. Ele conseguiu. Mas uma antiga edição da "Enciclopédia Britânica"diz simplesmente que ele era "irmão de David Livingstone".

E quem foi David Livingstone? Enquanto John se dedicava a ganhar dinheiro, David ajoelhava-se e orava. Quando se entregou a Cristo, ele resolveu: "Não vou valorizar nada do tenho, a menos que tenha relação com o Reino de Deus". Em seu túmulo, na Abadia de Westminster, está escrito: "Trinta anos de sua vida foram gastos no esfroço incansável da evangelização".
No seu aniversário de 59 anos, David livingstone escreveu: "Meu Jesus, meu Rei, minha Vida, meu Tudo; novamente didico todo o meu ser a ti"

Extraído: Livro Dia a dia com Jesus/Billy Graham

28 de junho de 2010

As palavras mágicas da Bruxaria Gospel!!!!



Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido. (João 15.7 NVI)


“Cabummm”! Com estas palavras mágicas, candidatos a feiticeiros e super-heróis evangélicos têm prometido mover céus e terra através da fé. Cura de doentes terminais, conquista de amores impossíveis, eleição para cargos do alto escalão político, enriquecimento relâmpago: tudo é possível de se alcançar. O inacreditável está a um passo de nós.
Cristãos mais ortodoxos e tradicionais retrucam, alegando exageros nesta interpretação. Neopentecostais revidam, defendendo uma observação literal da passagem em debate. Cá entre nós, parece que os apimentados neopentecostais tem boa dose de razão. Note que o texto é claro: “Vocês pedirão o que quiserem, e lhes será concedido”.
Mas, espere um pouco. As palavras anteriores do mesmo texto exigem uma nova interpretação da passagem. Elas afirmam que “Se nós permanecermos em Cristo, e Suas palavras permanecerem em nós, pediremos o que quisermos, e nos será concedido.” (João 15.7, adaptado).
O texto é claríssimo. Tudo o que pedirmos a Cristo nos será dado. Só que não para por aí. O melhor está nas entrelinhas da mensagem. Lamento jogar água nas labaredas da interpretação neopentecostal, mas precisamos mirar nossos olhos na essência da mensagem do Mestre.
O que acontece é que quando nós permanecemos em Cristo, e as suas palavras permanecem em nós, a qualidade dos nossos pedidos muda. E como muda! Quando nos alimentamos dia e noite da Palavra de Deus, e quando Cristo realmente habita e dirige nossas vidas e corações, acredite, nossos pedidos tem outro propósito e sentido.
Não usamos mais essas palavras de Jesus como vara de condão, nem como palavras mágicas tiradas de livro de bruxaria, aprendendo assim a técnica de arrancar milagres do céu. Não mais “botamos Deus contra a parede” exigindo que, mediante demonstração da nossa fé, nos ajude a passar em concursos públicos, vestibulares, que nos dê rios de dinheiro, nem que cure nossos parentes e amigos de doenças terminais.
Quando as palavras de Jesus abundam em nossos corações, aprendemos a orar como o próprio Jesus: “Pai, acima de tudo, seja feita a tua vontade, e não a minha” (Lc 22.42). Jesus reafirmou o valor de sua relação com Deus pedindo que fosse “feita a Sua vontade, assim na terra, como no céu” (Mt 6.10).
O mais gostoso na vida cristã e depender totalmente de Deus. Saber que Ele cuida de nós. Que esquadrinha nosso futuro (Sl 139). Que nos sustenta (Sl 145.14). Que renova, diariamente, suas misericórdias sobre nossas vidas (Lm 3.22). Que nos ama (Jo 3.16). E que move céus e terra para que não andemos ansiosos por coisa alguma das nossas vidas, como por exemplo, quanto ao que haveremos de comer, beber ou vestir, afinal de contas, Ele sabe que precisamos de todas essas coisas (cf. Mt 6). Devemos buscar conhecer mais o Deus que servimos e que nos salvou. Devemos aprender a depositar nEle nossa confiança, pois Ele tem, de maneira extraordinária e inigualável, “cuidado de nós” (1 Pedro 5.7).
Francisco Helder Sousa Cardoso 
Via: Genizah


21 de junho de 2010

Boa semana!


imagem via: FishForPeople

11 de junho de 2010

Struck - The Film




Porque todo mortal já passou por isso.....rsrsrs

Bom final de semana!!!

10 de junho de 2010

A Bíblia Contém....

Jesus adverte os que buscam sinais e falsos profetas!!!

Evangelho Terapêutico

Por Mark Driscoll

A igreja contemporânea geralmente proclama um evangelho de auto-satisfação. Este evangelho foi influenciado pelo psicólogo não-cristão Abraham Maslow e sua hierarquia de necessidades, na qual ele afirma que as pessoas se movem à partir de suas necessidades básicas de sobrevivência, até as necessidades superiores de auto-realização de seu potencial pleno, em busca de se fazer tudo o que desejam. O problema com a teoria de Maslow é simples, mas muito significativo: ele estabelece o ser humano como o seu próprio deus, em sua própria missão em busca da sua própria glória. Dentro deste quadro, não existo para Deus, mas, ao invés disso, Deus é que existe para mim. Por exemplo, se a oração do Pai Nosso fosse reescrita de acordo com as prioridades de Maslow, ficaria assim “Venha o meu reino, seja feita a minha vontade, porque meu é o reino, o poder e a glória”.

O evangelho da auto-satisfação da igreja contemporânea essencialmente aceita a hierarquia de Maslow e ensina que Deus existe para capacitar cada um de nós para realizar nosso potencial pleno. Assim, neste evangelho terapêutico, você usa Jesus para alcançar seus fins, que podem variar da saúde até a riqueza, contentamento emocional ou qualquer que seja a visão pessoal que você tenha para alcançar sua própria glória. Assim, o que impede a realização do nosso potencial pleno não é que sejamos pecadores, mas o fato de não nos amarmos o suficiente e não termos autoestima e pensamento positivo suficiente. Deus existe para nos adorar e o faz ao dizer o quanto somos adoráveis e valiosos. Neste evangelho, a cruz é um reflexo do meu grande valor, porque Deus me acha tão adorável e valioso, que está pronto a morrer por mim para que eu possa me amar, crer em mim mesmo e alcançar minha completa glória.

Este evangelho terapêutico é um falso evangelho e inimigo da missão por inúmeras razoes. Primeiro, ele não me convoca a amar a Deus e ao meu próximo, mas apenas a amar a mim mesmo. Segundo, ele não me chama para a missão de Deus, mas chama Deus para a minha missão. Terceiro, ele não me chama para ser parte da igreja servindo na missão de Deus, mas para usar a igreja para me tornar uma pessoa melhor. Quarto, ele não me chama a usar meu dom ou dons espirituais para edificar a igreja, mas para realizar meu potencial pleno. Quinto, ele pega o orgulho, que Santo Agostinho chama de mãe de todos os pecados, e o reapresenta como autoestima, a serva de todas as virtudes.

Via: Púlpito Crsitão

2 de junho de 2010

Bom Feriadooo!!!!!!!!!!!!!!!!

Não Estou Salvo!!!!!!!!!!!!


C.H. Spurgeon
“Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos” (Jr 8:20)

Não estou Salvo!
Caro leitor, esta é sua triste condição? Mesmo sendo avisado do julgamento por vir e exortado a buscar salvação, ainda assim, até agora você não está salvo? Você sabe qual é o caminho da salvação; tem lido sobre isso lhe explicam o assunto. Porém, apesar de tudo, você despreza e, portanto, não está salvo. Não haverá desculpas para você, quando o Senhor julgar os vivos e os mortos. O Espírito Santo tem abençoado, com maior ou menor intensidade, a Palavra que lhe é pregada; têm trazido, da presença divina, momentos de refrigério. Mesmo assim como as estações, essas oportunidades de esperança lhe chegaram e se foram – seu verão e sua colheita já passaram – e você ainda não está salvo.
Os anos se sucedem em direção à eternidade; logo chegará o último ano de sua vida. Sua juventude logo passará; sua varonilidade está se escoando, e você ainda não está salvo. Pergunto-lhe: Você será salvo ainda? Há qualquer possibilidade disso? Mesmo as ocasiões mais propícias não lhe levaram à salvação. Seria o caso de outras oportunidades alterarem a sua condição? Vários meios já falharam com você; até mesmo o melhor dos métodos, usado com perseverança e a melhor afeição. O que mais poderá ser feito por você? A aflição a prosperidade não mais lhe impressionam; lágrimas, orações e sermões se perderam em seu coração vazio. Não se esgotaram as probabilidades de você um dia ser salvo? Não é mais que provável que você permanecerá como está, até que a morte feche para sempre a porta da salvação? Você poderá rejeitar estas suposições; entretanto, ela é racional, pois quem não se lava em águas abundantes, quando as encontra, muito provavelmente permanecerá imundo até o fim. Se o tempo apropriado não chegou, por que ainda haverá de chegar? É natural temer que ele nunca chegará e que à semelhança de Felix, você nunca encontre ocasião apropriada, até que esteja no inferno. Oh! Considere o que é o inferno e a terrível possibilidade de ser brevemente lançado nele!

Leitor, caso você morra sem ser salvo, não haverá palavras para descrever a sua perdição. Você deveria lamentar-se profundamente pelo seu triste estado, falar a respeito dele com gemidos e ranger de dentes. Você será punido com a destruição eterna, banido da glória do Senhor e da glória de seu poder. Esta voz amiga deseja alertá-lo e conduzi-lo à uma vida de seriedade. Oh! Seja sábio! Seja sábio a tempo e, antes que passe a oportunidade, creia em Jesus, que é capaz de salvá-lo completamente. Utilize o tempo presente para refletir. Se, em humilde fé em Cristo, houver arrependimento em sua vida, isto será o melhor a lhe acontecer. Não permita que este ano passe e você continue sem perdão; nem que o repicar dos sinos do ano novo o encontrem sem o gozo verdadeiro. Creia em Jesus e viva – agora, agora, agora.


“Livra-te, salva a tua vida: não olhes para trás, nem pares em toda a campina; foge para o monte, para que não pereças” (Gn 19:17).