Pages

31 de março de 2010

Breakfast at Tiffany's



Hoje tive uma vontade imensaa de rever pela milésima vez.....o Filme Breakfast at Tiffany's (Bonequinha de Luxo), estrelado por Audrey Hepburn em 1961, aí que vontade de ser a Holly com seu jeito desencanada de ser(rsrs)...amoooo esse filme.....assisti a pela primeira vez quando eu tinha mais ou menos uns 15 anos.....e nunca me canso de ver e rever!!!
Pra quem não conhece aí está fotos o vídeo do trailer....e da música tb "Moon River"

Ótima dica para o feiradão....




Audrey Hepbrun tem outros filmes lindoss tb...como My Fair Lady 1964, Sabrina 1954 , Roman Holiday 1953 e outros.

Fashion & Plus Size!!!!!




Como uma recente estudante de Moda......estou ainda mais apaixonada por tudo nesta aréa.....já devorava revistas de Moda antes.....agora então quero ler tudoo......E foi lendo por aí vi que agora no Brasil, depois que descobriram que uma brasileira (Fluvia Lacerda) brilha lá fora como modelo Plus Size....vemos que a cada dia cresce mais o interesse por tamanho Plus Size!!!
Na Europa e nos Eua....cresce muitooo esse conceito (que vara pau..com bumbum de remo e anoréxica na passarela não é legal) aqui no Brasil caminha de forma lenta.....Brasil não é referência pra ninguém....quando todo o mundo aderir esse conceito ele adere tb!!!!
Acompanho muitos blogs, a maioria europeu, no qual as modelos são pessoas normais em tamanho plus size (just like me).....e fala sério.....elas estão lindas com roupas da Top Shop, H&M, etc...
Aqui lojas de departamento como Riachuelo, C&A, Renner e outras....ainda não descobriram esse mercado...creio que ainda demore um pouco......porque toda confecção que abre por aqui (in my city).....só pensa em começar pelo PP e só chega ao G que corresponde ao 42(plus size de 44 pra frente) com um mercado saturado ainda não descobriram que a bola da vez agora é tamanho plus size.
Bom pra entendermos melhor o mercado...e como essas modelos estão em todas as capas de revistas na Europa segue aqui algumas fotos (a Vogue Itália já tá na frente e lançou a página dedicada a modelos com curvas, a Vogue Curvy).

Esta é a Tara Lynn, na V Magazine e Elle francesa,




Esta é a brasileira Fluvia Lacerda
Mas vale lembrar quem começou a carreira como modelo plus size e abriu o caminho para outras modelos foi a Emme a muitooo tempo atrás onde também comandou um programa de tv no canal E!.

28 de março de 2010

MacBook Era do Gelo





Imagem via: FishForPeople

Andar Digno do Chamado


C. H. Spurgeon

A palavra vivei inclui todo o curso de nossa vida e comportamento no mundo: (Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo. Fl 1.27).

O vocábulo grego significa as ações e os privilégios de um cidadão. Assim, somos ordenados a deixar que nossas ações, como cidadãos da Nova Jerusalém, dêem glória ao evangelho de Cristo. O evangelho é bastante simples. Deve haver uma simplicidade em nosso comportamento, nossa linguagem, nossas vestes e todo o nosso viver. Isto é a própria essência da beleza.

O evangelho é perfeitamente verdadeiro. Sem as jóias da verdade, o viver do crente não terá brilho e valor. O evangelho é intrépido. Ele proclama com ousadia a verdade, quer o homem goste, quer não. De maneira semelhante, temos de ser fiéis e perseverantes.

O evangelho também é bastante amável. Ouça as palavras de seu Fundador: "Não esmagará a cana quebrada" (Mateus 12.20). Procuremos ganhar outros por meio da amabilidade de nossos atos e nossas palavras. O evangelho é a mensagem de um Deus de amor para uma raça perdida e caída. O último mandamento de Cristo para sua Igreja foi: "Que vos ameis uns aos outros" (João 13.34). Oh! Que haja mais unidade e amor entre os crentes! Que haja também mais terna compaixão para com as almas dos perdidos e dos piores e mais vis dos homens!

Não podemos esquecer que o evangelho de Cristo é santo. O evangelho nunca encobre o pecado. Ele o perdoa, mas somente através da expiação. Se nossa vida tem de refletir o evangelho, temos de evitar tudo que obstrui nossa perfeita conformidade com Cristo. Por amor a Ele, por amor a nós mesmos e aos outros, temos de nos esforçar, dia após dia, para que nosso comportamento esteja mais de acordo com o evangelho de Cristo.

Fonte: Charles Haddon Spurgeon

Como Experimentamos o Amor de Deus no Coração?


Por John Piper

Experimentar o amor de Deus, e não apenas pensar sobre este amor, é algo que devemos desejar com todo o coração. É uma experiência de grande alegria porque nela provamos a própria realidade de Deus e de seu amor. É o fundamento de profunda e maravilhosa segurança — a segurança de que nossa esperança “não confunde” (Rm 5.5). Esta segurança nos ajuda a nos gloriarmos “na esperança da glória de Deus” (Rm 5.2); e nos conduz através das intensas provas de nossa fé.


Esta experiência do amor de Deus é a mesma para todos os crentes? Não. Se todos os crentes tivessem a mesma experiência do amor de Deus, Paulo não teria orado em favor dos crentes de Éfeso: “A fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus” (Ef 3.18,19). Ele pediu isto porque alguns (ou todos!) eram deficientes em sua experiência do amor de Deus, em Cristo. E podemos supor que não somos todos deficientes na mesma medida em que o eram os crentes de Éfeso.

Como podemos alcançar a plenitude da experiência do amor de Deus, derramado em nosso coração pelo Espírito Santo? Uma das chaves para isso é compreendermos que esta experiência não é semelhante à hipnose, ao choque elétrico, às alucinações induzidas por drogas ou uma boa medida de calafrios. Pelo contrário, tal experiência é mediada pelo conhecimento. Não é o mesmo que conhecimento, mas vem por meio deste. Expressando-o de outra maneira, esta experiência do amor de Deus é obra do Espírito Santo dando-nos gozo indizível em resposta às percepções da mente a respeito da manifestação desse amor na pessoa de Jesus Cristo. Deste modo, Cristo recebe a glória pelo gozo que desfrutamos. É um gozo naquilo que vemos nEle.

Onde você pode ver isto nas Escrituras? Considere 1 Pedro 1.8: “A quem, não havendo visto, amais; no qual, não vendo agora, mas crendo, exultais com alegria indizível e cheia de glória”. Aqui temos uma experiência de grande e indescritível gozo — um gozo além de quaisquer palavras. Não se fundamenta em uma visão física de Cristo. Está fundamentada em crer em Cristo. Ele é o foco e o conteúdo da mente neste gozo indescritível.

De fato, 1 Pedro 1.6 afirma que o gozo, em si mesmo, está “na” verdade que Pedro está declarando sobre a pessoa de Cristo — “Nisso exultais”. Ao que se refere o termo “isso”? À verdade de que:

1) em sua grande misericórdia, Deus “nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (v. 3);

2) obteremos “uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível” (v. 4); e

3) somos “guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo” (v. 5). Em tudo isso, exultamos “com alegria indizível e cheia de glória” (v. 8).

Sabemos algumas verdades. E nos regozijamos nisso! A experiência de uma alegria indizível é uma experiência mediada. Ela vem por intermédio do conhecimento de Cristo e de sua obra. Tal experiência possui um conteúdo.

Considere também Gálatas 3.5: “Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?” Sabemos, com base em Romanos 5.5, que a experiência do amor de Deus acontece por meio do “Espírito Santo, que nos foi outorgado”. Mas Gálatas 3.5 nos diz que a concessão do Espírito tem conteúdo. Ela se realiza por meio da “pregação da fé”. Há duas coisas: a pregação e a fé. Existe a pregação da verdade a respeito de Cristo e a fé nessa verdade. É desta maneira que o Espírito é concedido. Ele vem por meio de conhecer e crer. A obra dEle é uma obra mediada. Tem conteúdo mental. Acautele-se de buscar o Espírito com esvaziamento de sua mente.

De modo semelhante, Romanos 15.13 afirma que o Deus da esperança nos enche com alegria e paz, “no crer”. E o crer tem conteúdo. O amor de Deus é experimentado em conhecermos e crermos em Cristo, porque Romanos 8.39 diz que o amor de Deus “está em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Nada poderá “separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

Portanto, faça quatro coisas: olhe, ore, renuncie e desfrute.

1. Olhe para Jesus. Considere a Jesus Cristo. Medite na glória e na obra dEle, não de modo casual, e sim intencional. Pense sobre as promessas que Ele fez e assegurou por meio de sua morte e ressurreição.

2. Ore para que Deus abra seus olhos, a fim de contemplarem as maravilhas do amor dEle nestas coisas.

3. Renuncie todas as atitudes e comportamentos que contradizem esta demonstração do amor de Cristo por você.

4. Desfrute a experiência do amor de Deus derramado em seu coração, pelo Espírito Santo.

Fonte: Voltemos ao Evangelho

17 de março de 2010

Com Tudo o que Possuis, Adquire a Unção!!!!!




Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar.O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes façanhas mentais. (Não quero dizer, porém, que se confunda com preguiça mental). A oração só exige um requisito: a espiritualidade. Ninguém precisa ser espiritual para pregar, isto é, a preparação e pregação de um sermão perfeito segundo as regras da homilética e com exatidão exegética, não requer espiritualidade. Qualquer um que possua boa memória, vasto conhecimento, forte personalidade, vontade, autoconfiança e uma boa biblioteca pode pregar em qualquer púlpito hoje em dia. E uma pregação dessas pode sensibilizar
as pessoas; mas a oração move o coração de Deus. A pregação toca o que é temporal; a oração, o que é eterno. O púlpito pode ser uma vitrine onde expomos nossos talentos; o aposento da oração, pelo contrário, desestimula toda a vaidade pessoal.A grande tragédia de nossos dias é que existem muitos pregadores sem vida, no púlpito, entregando sermões sem vida, a ouvintes sem vida. Que lástima! Tenho constatado um fato muito estranho que ocorre até mesmo em igrejas fundamentalistas: a pregação sem unção. E o que é unção? Não sei. Mas sei muito bem o que é não ter unção (ou pelo menos sei quando não estou ungido). Uma pregação sem unção mata a alma do ouvinte, em vez de vivificá-la. Se o pregador não estiver ungido, a Palavra não tem vida.
Pregador, com tudo que possuis, adquire unção.
Irmão, nós poderíamos ter a metade da capacidade intelectual que possuímos se fôssemos duas vezes mais espirituais. A pregação é uma tarefa espiritual. Um sermão gerado na mente só atinge a mente de quem a ouve. Mas gerada no coração, chega ao coração. Um pregador espiritual, sob o poder de Deus, produz mentalidade espiritual em seus ouvintes. A unção não é uma pombinha mansa esvoaçando à janela da alma do pregador; não. Pelo contrário; temos que batalhar por ela e conquistá-la. Também não é algo que se aprenda; é bênção que se obtém pela oração. Ela é o prêmio que Deus concede ao combatente da fé, que luta em oração, e consegue a vitória. E não é com piadinhas e tiradas intelectuais que se chega à vitória no púlpito, não. Essa batalha é ganha ou perdida antes mesmo de o pregador pôr os pés lá.
A unção é como dinamite. Não é recebida pela imposição de mãos, nem tampouco cria mofo se o pregador for lançado numa prisão. Ela penetra e permeia a alma; abranda-a e tempera-a. E se o martelo da lógica e o fogo do zelo humano não conseguirem quebrar o coração de pedra, a unção o fará. Que febre de construção de templos estamos presenciando hoje. No entanto, sem pregadores ungidos, o altar dessas igrejas não verá pecadores rendidos a Cristo. Suponhamos que todos os dias diversos pescadores saiam para o alto-mar com seus barcos, levando o mais moderno equipamento que existe para o exercício desse ofício, mas retornem sempre sem apanhar um só peixe. Que desculpa poderiam dar para tal fracasso? No entanto é isso que acontece nas igrejas. Milhares delas estão abrindo as portas dominicalmente, mas não vêem conversão. Depois tentam encobrir sua esterilidade interpretando textos bíblicos a seu bel-prazer. Mas a Bíblia diz: “Assim será a palavra que sair da minha boca; não voltará para mim vazia...”
E o mais triste em tudo isso é que o fogo que devia haver nesses altares encontra-se apagado ou arde em combustão muito lenta. A reunião de oração está morrendo ou já morreu. Com a atitude que temos em relação à oração, estamos dizendo ao Senhor que o que ele começou no Espírito, nós terminaremos na carne. Qual é a igreja que pergunta a um candidato ao ministério quanto tempo ele passa diariamente em oração? A verdade é que o pregador que não passa pelo menos duas horas por dia em oração, não vale um vintém, por mais títulos que possua.A igreja hoje se acha como que postada na calçada assistindo, entre aflita e frustrada, à parada dos maus espíritos de Moscou, que marcham pomposamente no meio da rua respirando ameaças contra “tudo que é amável e de boa fama”. Além disso, no lugar da regeneração, o diabo colocou a reencarnação; no lugar do Espírito Santo, os espíritos-guias; no lugar do verdadeiro Cristo, o anticristo. E o que a igreja tem para contrapor aos males do comunismo? Onde está o poder espiritual? A impressão que se tem é que, ultimamente, uma forte sonolência tomou o lugar da oposição religiosa, nos púlpitos e também nas publicações evangélicas. Quem hoje batalha “diligentemente pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos”? Onde estão os combatentes divinamente ungidos de nossos púlpitos? Os pregadores que deviam estar “pescando homens”, parecem estar pescando mais é o elogio deles.
Os que costumavam espalhar a semente, agora estão colecionando pérolas intelectuais. (Imagine só, semear pérolas num campo!)Chega dessa pregação estéril, espiritualmente vazia, que é ineficaz, porque foi gerada num túmulo e não num ventre, e se desenvolveu numa alma sem oração, sem fogo espiritual! É possível alguém pregar e ainda assim se perder; mas é impossível orar e perecer. Se Deus nos chamou para o seu ministério, então, prezados irmãos, insisto em que precisamos de unção.
Com tudo que possuis, adquire a unção, senão os altares vazios de nossas igrejas serão exemplos vivos de nosso intelectualismo ressequido.

“Nossas orações precisam ser apoiadas numa energia que nunca esmorece, numa persistência que não aceita não como resposta, e numa coragem que nunca se rende”.
— E. M. Bounds.

“Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo”.
— Judas20.

“Ah, se pudéssemos sentir-nos mais preocupados com o estado de inanição em que se encontra hoje a causa de Cristo na terra, com os avanços do inimigo em Sião e com a devastação que o diabo tem efetuado nele. Mas infelizmente um espírito de indiferença vem imobilizando muitos de nós”.
— A. W. Pink.

“A oração era seu interesse máximo!”
— O biógrafo de Edwin Payson.

“Tenho passado dias e até semanas prostrado ao chão, orando, silenciosamente ou em voz alta”.
— George Whitefield.

“Todo declínio espiritual começa com a negligência da oração. Nenhum coração pode desenvolver-se bem sem muita comunhão íntima com Deus; não existe nada que possa compensar a falta dela”.
— Berridge.

“A impressão que tive foi que ele já havia subido para o céu, e se achava imerso em Deus. Muitas vezes, após terminar seu momento de oração, ele estava branco como a cal da parede”.
— Comentário de um amigo de Tersteegen, após um contato com ele em Kronenberg.


Extraído do Livro: "Porque Tarda o Pleno Avivamento" - Leonard Ravenhill - Cap.1

Irish quote




Imagem via: everthingfab

14 de março de 2010




Imagem via: FishForPeople

Why Women Cry...


A little boy asked his mother, "Why are you crying?"

"Because I'm a woman," she told him.

"I don't understand," he said.His Mom just hugged him and said, "And you never will."

Later the little boy asked his father"Why does mother seem to cry for no reason?
"All women cry for no reason," was all his dad could say.

The little boy grew up and became a man, still wondering why women cry.Finally he put in a call to God. When God got on the phone, he asked, "God, why do women cry so easily?"

God said:
"When I made the woman she had to be special.
I made her shoulders strong enough to carry the weight of the world, yet gentle enough to give comfort.

I gave her an inner strength to endure childbirth and the rejection that many times comes from her children.

I gave her a hardness that allows her to keep going when everyone else gives up, and take care of her family through sickness and fatigue without complaining.

I gave her the sensitivity to love her children under any and all circumstances, even when her child has hurt her very badly.

I gave her strength to carry her husband through his faults and fashioned her from his rib to protect his heart.

And finally, I gave her a tear to shed. This is hers exclusively to use whenever it is needed."

"You see my son," said God, "the beauty of a woman is not in the clothes she wears, the figure that she carries, or the way she combs her hair.

The beauty of a woman must be seen in her eyes, because that is the doorway to her heart - the place where love resides."



Fonte: Everythingfab
Imagem via: weheartit

O Olhar de Amor

Todos os escritores dos quatro evangelhos falam sobre aquela noite em que Pedro negou o nosso Senhor com três declarações de rejeição crescentes. Eles nos contam o choro amargo de Pedro quando ele compreendeu que Jesus predissera corretamente a sua negação, antes que o galo cantasse. Todavia, Lucas inclui um pequeno detalhe, profundo.

Lucas 22.61 diz que, após a negação de Pedro pela terceira vez e o cantar do galo, "voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo".

Esse olhar deve ter arrasado Pedro de inúmeras maneiras! Quando o Senhor olha para nós em nosso pecado e rejeição, só podemos ficar abatidos de tristeza. E a verdade é: o Senhor nos vê todo o tempo, em nossas várias falhas, pecados, negações e rejeições.

O que foi esse olhar? O que Pedro viu nos olhos de Jesus? O olhar significou: "Eu lhe disse isso"? Não creio que o Senhor se regozijou com o fracasso de Pedro.

Jesus olhou para Pedro com olhos de ira e juízo? Não penso assim. Jesus não esmagará a cana quebrada nem apagará a lâmpada que fumega.

Aquele olhar não significou: "Como você pôde fazer isso?" Não acredito que o olhar de Jesus comunicou mágoa pessoal. Jesus não veio para sobrecarregar-nos com culpa; antes, para removê-la.

Penso que aquele olhar foi amor puro e santo... que não suportamos contemplar quando estamos em nosso pecado. Em nossa justiça própria, poderíamos entendê-lo – e até desejar – como ira, ou desapontamento, ou mágoa, ou mesmo "Eu lhe disse isso". Mas, quando o Senhor continua a olhar para nós com amor puro e imaculado... isso nos tira toda justiça própria e nos faz ver que amor santo rejeitamos... e que pessoas ímpias nós somos. Não podemos suportar Jesus olhando para nós com esse amor puro e santo, quando falhamos tão miseravelmente. Portanto, como Pedro, volvemos nosso rosto e choramos amargamente, quando falhamos para com nosso Senhor.

E esse é um erro terrível. Se, quando pecamos contra o Senhor, pudéssemos continuar olhando para sua face, veríamos que este amor santo nos aceita. Ele nos perdoa e nos purifica. Livra-nos da culpa e remove a vergonha. Cura os abatidos e ergue os indignos. Se pudéssemos apenas contemplar a face do Senhor, veríamos um olhar amável que diz: "Venha a mim".

É a face daquele que ama de tal modo que vence o nosso pecado... toma o nosso pecado como dele mesmo... suporta nossa culpa como se fosse sua... um amor que nos une a ele mesmo. Olhar para essa face, pela fé... implica sentir e conhecer o amor mais santo, mais sacrificial e mais redentor possível.

O maior problema de Pedro não foi que ele negou três vezes a Jesus. Ele foi restaurado disso. Nosso maior problema não é negar ou desapontar a Jesus.

O maior problema de Pedro foi que ele saiu e chorou sozinho... em vez de correr para a face amorosa de Jesus. Nosso maior problema é afastar nosso olhar de Jesus. Ele removeu nossos pecados. Temos de olhar para ele e continuar olhando para ele, até que nos regozijemos em sua aceitação amorosa.

Se somos crentes há qualquer tempo, já descobrimos que nossa vida é cheia de fracassos e pecado... até de vários tipos de negação. Mas também descobrimos que ele continua olhando... e chamando-nos a si mesmo. Crente... olhe para Jesus. Não vire o rosto.

Fixe seus olhos em Jesus,

Contemple toda a sua face admirável,

E as coisas da terra ficarão ofuscadas

À luz da glória e graça de Jesus.


Thabiti Anyabwile


Fonte: Editora Fiel

11 de março de 2010

Só é Pastor aquele que Pastoreia!!!!



Filipe Luiz C. Machado



Já perdi a conta de quantos pastores conheci durante minha caminhada cristã. É um número sem fim! São tantos, mas tantos mesmo, que as vezes acabo esquecendo quem é e quem não é pastor. Alguns que penso que são pastores, não são; já outros que penso que não são, na verdade, são.

E o que quero dizer com isso? Quero dizer que só é pastor aquele que pastoreia e fim de papo.

Ligamos a televisão e vemos diversos pastores e apóstolos em horário nobre. Do alto de seus mega-templos e púlpitos feitos da mais nobre madeira ou acrílico, proferem palavras e citam a bíblia. Falam bonito, gesticulam e entretêm o povo, mas... onde está o pastoreio?

O que é preciso para se tornar um pastor? Frequentar um seminário, estudos bíblicos, ser filho de pastor? Qual o requisito que faz com que um homem se torne pastor?

É notório em nossos dias a falta de caráter de alguns que se intitulam pastores e mestres. Não digo falta de caráter apenas no sentido ético, mas no sentido prático: o de pastorear.

João 10.1-4 "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora. E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. " (ênfase minha)

É interessante notar que Jesus ao se referir como sendo o pastor das ovelhas (sua igreja), diz que o pastor vai a frente das ovelhas e estas o seguem. Ele não está falando de um pastor de que fica atrás das ovelhas com uma arma apontada em sua direção, para que elas sejam intimidadas e marchem adiante. Nem tão pouco de um pastor que apenas profere sermões de seu púlpito e depois se manda para casa, para não ter que pastorear. Jesus diz que ele vai a frente e as suas ovelhas o seguem. Ele está ali, junto delas e elas o seguem. O verdadeiro pastor não tem medo de que suas ovelhas não gostem do caminho por onde ele as levará. O versículo 3 diz "...e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora."

Como é sua relação com seu pastor local e ou/líder? Ele é apenas um líder que fala no púlpito aos domingos e depois vai embora, ou é de fato um pastor cuidadoso que dá atenção a você e às suas ovelhas? Há um verdadeiro pastoreio em sua comunidade ou apenas um homem que fala e deixa suas ovelhas andarem por onde quiserem? Ele tem ido e buscado o fraco e vacilante?

João 10.11 "Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas." Jesus sendo líder da igreja (não igreja/templo, mas sim a Igreja invisível) deu sua vida por ela. O pastor descrito pela bíblia é aquele que se importa com suas ovelhas e não há tempo ruim para este que se importa com o outro e quer vê-lo bem. Com certeza somos humanos e temos nossos dias de fraqueza e indisposição, porém esse não deve ser o padrão constante. A estes a bíblia diz: doe-se.

Infelizmente a comunidade cristã atual está superlotada de pastores, bispos, apóstolos, reverendos... e a lista não pára!. Homens que não aceitam serem chamados por seu próprio nome, precisam ser chamados de Pastor Fulano, Pastor Ciclano. Para estes, apenas serem chamados de Fulano não está bom, pois isto aparenta uma perda de majestade, de senhorio e de sua autoridade que lhes foi concedida sobre o céu e a Terra (ops, essa foi pra Jesus).

Só é pastor aquele que pastoreia e disso não abro mão. Não posso concordar com pessoas que são recém formadas em um seminário teológico (ou de lavagem cerebral, vai depender da doutrina) e já são ungidos pastores, sem sequer terem ovelhas para pastorearem. Como podem estes levar com tanta negligência um ministério assaz importante e valioso como esse? Para estes, ser pastor é ser autoridade e é disso que eles gostam.

É muito bom sabermos que existem pessoas que estão dispostas a exercerem a prática pastoral, mesmo que não sejam pastores de verdade (no sentido de ungido). De igual forma, é maravilhoso sabermos que ainda existem verdadeiros pastores comprometidos com a prática do pastoreio.

Que possamos abrir nossos olhos e vermos quem de fato é um pastor segundo a bíblia.

Deus abençoe a todos!

p.s.1: quando digo que pastor é aquele que pastoreia, não desprezo aqueles que porventura já exerceram a prática pastoral em determinada comunidade e agora já não mais o fazem. Com certeza estes tiveram seu tempo de ministério e louvado seja Deus por isso. Minha crítica é para com aqueles que estão levantados como pastores de comunidades e não procedem como lhes seria devido.

p.s.2: embora o texto de João 10 se refira estritamente a Jesus e sua igreja, certamente podemos usar o exemplo de como Jesus trata seus filhos, para assim tratarmos nossas ovelhas.

Fonte: Blog do autor
Via: Bereianos

5 de março de 2010

4 de março de 2010

A Fé Ri das Impossibilidades!!!!!



Leonard Ravenhill

Pedro na prisão! Que abalo!

Estamos muito longe da cena real para capturar a atmosfera de horror que os Cristãos sentiram neste dia.

Pedro foi movido do Pentecostes para a prisão, dos insultos para a lança. Ele foi guardado por dezesseis soldados. Pergunte a si mesmo o porque de um homem indefeso necessitar de um semelhante grupo para vigiá-lo. Poder-se-ia ser que Herodes temeu o sobrenatural, visto que ele soube que Jesus escapou de um grupo semelhante que O guardava?

Se Pedro tivesse sido cercado por cento e dezesseis soldados, o problema não seria aumentado nem a fuga seria menos certa. Pedro não estava confinado somente pelas duas correntes, mas também pelas grossas paredes da prisão, pelas três divisões da prisão e finalmente por um portão de ferro.

Quando Pedro estava na prisão, a igreja organizou um plano para libertá-lo? Não. Quando Pedro estava encarcerado, os crentes ofereceram uma petição a Herodes ou sugeriram um preço para oferecer aos legisladores para sua liberdade? Não. Pedro tinha libertado outros na hora da oração; agora outros deveriam crer na sua libertação.

Com freqüência através do livro de Atos, que poderia ser chamado Os Atos da Oração, encontramos oração e mais oração. Escave no livro e descubra este poder que motivava a igreja primitiva. No capítulo doze de Atos encontramos um grupo que orava. Apesar de um exército acampado contra Pedro, nisto aqueles crentes confiavam: havia um Deus que poderia e que livraria. A operação de resgate que nunca falhou foi a oração. Não havia limites nas orações daqueles que fizeram intercessão por Pedro. A oração era feita sem cessar pela igreja à Deus por ele. Eles não estavam preocupados se Herodes morreria ou não. Eles não oraram para que eles pudessem escapar do destino de Pedro. Eles não pediram que eles tivessem outro êxodo para uma nação mais hospitaleira. Eles oraram por uma pessoa: Pedro. Eles oraram por uma coisa: sua libertação. A resposta provou o prometido: "E, tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis".

Alguns pobres intérpretes desta história têm disto que quando aqueles que oravam ouviram que Pedro estava à porta, não acreditaram. Eu não posso aceitar esta suposição. Estou certo de que eles oraram com esperança. Eu gosto de pensar que eles ficaram por um momento chocados com a instantaniedade da resposta. Eles poderiam ser escusados se tivessem levantado suas sobrancelhas quando Pedro disse: "Eu escapei facilmente com a escolta de um anjo" (Próxima vez que você passar na porta mágica automática em seu supermercado, lembre-se que a primeira porta a abrir-se de seu próprio acordo foi funcionada de cima!).

Libertações operadas por anjos parecem não encontrar lugar na nossa teologia moderna. Talvez gostaríamos que o Senhor respondesse nossas orações com o mínimo embaraço para nós. Além do mais, quem esperará que as filas angelicais sejam perturbadas para trazer libertação a uma alma que ora? Porém, aconteceram resultados sobrenaturais para muitos dos santos que oravam nos dias apostólicos. O Senhor usou um terremoto devastador para a libertação do apóstolo. A oração é uma dinamite.

Não há nenhuma arma fabricada contra a oração que possa neutralizá-la. Algumas coisas podem atrasar as respostas à oração, mas nada pode parar o supremo propósito de Deus. "Se tardar, espera-o".

O primeiro requerimento na oração é crer.

- Crer que Deus é "galardoador dos que O buscam".
- Crer que Deus está vivo e que, portanto tem poder não somente para a libertação de Pedro, mas também para a nossa.
- Crer que Deus é amor e que Ele tem cuidado dos Seus.
- Crer que Deus é poder e, portanto nenhum poder pode opor-se a Ele.
- Crer que Deus é verdadeiro e, portanto não pode mentir.
- Crer que Deus é bom e que Ele nunca abdicará Seu trono ou falhará em Sua promessa.

Refletindo sobre a história de Pedro, fui repreendido, humilhado, envergonhado e atormentado. Por que? Porque há grandes santos de hoje em dia, Watchman Nee por exemplo, que por anos têm sofrido e têm permanecido cativos pelos comunistas e outros. Muitos dos santos de hoje estão quietos na prisão. O mesmo destino tem sucedido a algumas testemunhas escolhidas de Deus no Vietnã e em Congo.

Tais perigos a outros membros do Corpo demandam preocupação, concentração e consagração para um plano comprometido de oração em favor deles. Eu temo que orações não têm sido feitas a Deus sem cessar por estes sofredores membros da família.

O Sr. Bunyan nos mostra seu Cristão cativo pelo Gigante Desespero no Castelo da Dúvida. A chave para sua libertação foi Promessa. Nós Cristãos estamos no cativeiro em muitos níveis hoje pessoais, domésticos, da igreja e de iniciativa missionária. Mas as correntes se quebram e as masmorras caem quando a oração é feita pela igreja à Deus:

- Oração sem cessar;
- Oração que destrói nossa situação atual;
- Oração que nos drena de qualquer outro interesse;
- Oração que nos emociona por suas imensas possibilidades;
- Oração que veja Deus como Aquele que do alto governa, Todo-Poderoso para salvar;
- Oração que ria das impossibilidades e grite: "Será feito";
- Oração que veja todas as coisas debaixo dos Seus pés [de Deus];
- Oração que é motivada com o desejo pela glória de Deus.

A oração de um crente pode tornar-se um ritual. O lugar da oração é mais do que território onde atiremos todas nossas ansiedades, preocupações e temores. O lugar da oração não é um lugar para deixar cair uma lista de compras diante do trono de um Deus com infinito suprimento e ilimitado poder.

Eu creio que o lugar da oração não seja somente um lugar onde eu perca meus fardos, mas também um lugar onde eu receba um fardo. Ele compartilha meu fardo e eu compartilho a Seu fardo. "Meu jugo é suave e meu fardo é leve". Para conhecer este fardo, devemos ouvir a voz do Espírito. Para ouvir esta voz, devemos calar e saber que Ele é Deus.

Esta hora calamitosa nos assuntos dos homens demanda uma igreja mais saudável do que a que temos. Esta manifestação evidente do mal na juventude e na violação dos mandamentos de Deus por todo o mundo requer uma fé que não recua.

Podemos deixar nossas espadas de oração enferrujadas nas bainhas da dúvida? Poderemos deixar nossas desentoadas harpas de oração penduradas nos salgueiros da descrença?

- Se Deus é um Deus de inigualável poder e inacreditável força,
- Se a Bíblia é a imutável Palavra do Deus vivo,
- Se a virtude de Cristo é tão nova hoje como quando Ele primeiro fez a oferta de Si mesmo a Deus depois de Sua ressurreição,
- Se Ele é o único mediador hoje,
- Se o Espírito Santo pode nos ressuscitar como Ele fez como nossos pais espirituais, Então todas as coisas são possíveis hoje.

Os mares estavam agitados, os ventos estavam uivando, os marinheiros estavam chorando, os mastros estavam voando, as estrelas estavam escondendo-se, o Euro-aquilão explodindo. As pessoas estavam encolhendo-se e gritando, gemendo e suspirando. Somente um homem estava louvando. Todos estavam esperando a morte, exceto Paulo. No meio de uma cena de desespero, se alguma vez houve uma, Paulo clamou: "Senhores, eu creio em Deus" (Atos 27).

Como as coisas parecem estar totalmente diferentes estes dias, eu vou me unir a Paulo. Eu vou dizer com fé: "Senhores, eu creio em Deus". Você se unirá a mim?

Tradução: Felipe Sabino
Fonte: Monergismo

3 little things



Imagem via: FishForPeople

3 de março de 2010

Black or white??

“I asked the zebra,
Are you black with white strips?
Or white with black strips?
And the zebra asked me,
Are you good with bad habits?
Or are you bad with good habits?
Are you noisy with quiet times?
Or are you quiet with noisy times?
Are you happy with sad days?
Or are you sad with happy days?
Are you neat with some sloppy ways?
Or are you sloppy with some neat ways?
And on and on and on and on
And on and on he went.
I’ll never ask a zebra
About stripes
Again.”



via: happythings